14 de out de 2010

Guia do estágio

Dicas para conseguir uma vaga, o que muda na nova lei, como se comportar na entrevista, como fazer o currículo ideal e muito mais...
O estágio é uma ótima maneira de o estudante começar bem a vida profissional. Isso porque a principal causa de desemprego entre os jovens é a falta de experiência. O começo do ano é o melhor período para procurar uma vaga - até o fim de março, o mercado se aquece com postos para nível médio, técnico e superior e a demanda das empresas aumenta de 20% a 30%. Nem a propalada crise econômica mundial nem a mudança na legislação, que prevê mais benefícios aos estagiários e, portanto, mais obrigações para as empresas, alteraram esse quadro. "As mudanças na Lei do Estágio (veja abaixo) assustaram algumas empresas, mas as perspectivas são muito boas", diz Tiago Tomita, coordenador de administração de estágios da Catho Online.
Estudantes de Educação especial e dos últimos anos do ensino fundamental (na modalidade jovens e adultos), do ensino médio (ensino profissionalizante e regular) e superior podem ser estagiários. A estudante de ensino médio Karine, por exemplo, conseguiu uma vaga graças ao programa Jovem Cidadão, do governo de São Paulo. "Assim que terminou meu estágio, fui efetivada" conta a jovem. Apesar da contratação não ser garantida, o estágio é o principal atalho para o mercado de trabalho
Grande ou pequena empresa? Tanto faz, se o objetivo é aprender e ganhar experiência. O bom estágio dá aos estudantes a oportunidade de aplicar conhecimentos na prática e desenvolver habilidades profissionais, sem prejudicar o desempenho na escola "Empresas menores garantem crescimento profissional maior e mais rápido, mas firmas maiores também oferecem grandes oportunidades", afirma Giuliano Bortolucci, diretor do site Estagiários.com, especializado no tema.
Para garantir uma vaga, é preciso ter iniciativa, perfil adequado à vaga oferecida e saber trabalhar em equipe. Paciência e persistência também são fundamentais - se demorar a ser escolhido, não desanime. Confira essas e outras dicas no guia preparado pelo Educar para Crescer com a consultaria da Catho, do Ciee e do Estagiários.com.

1. Onde buscar estágio?
Fique de olho no mural da sua escola ou faculdade - muitas empresas costumam usar essa via para contratar estagiários. Também inscreva-se em sites específicos. A maioria deles não cobra pelo cadastro. Veja abaixo:
Centro de Integração Empresa-Escola (http://www.ciee.org.br/): essa instituição filantrópica, mantida por empresários, não cobra taxa de cadastramento e tem 7.614 vagas, para estudantes de nível médio, técnico e superior

Núcleo Brasileiro de Estágios (http://www.nube.com.br/): o site de cadastro gratuito tem 2.316 vagas para estudantes do ensino médio, técnico e superior em todo Brasil. Os valores da bolsa-auxilio variam entre R$ 350 e R$ 1.416, de acordo com o curso e carga-horária

Catho ( http://www.catho.com.br/): o site de busca e oferta de empregos tem 12.574 vagas para estagiários. É grátis nos primeiros sete dias e depois cobra mensalidade de R$ 29,50 para estagiários, mas é grátis por sete dias
Programa Jovem Cidadão - Meu Primeiro Trabalho (http://www.meuprimeirotrabalho.sp.gov.br/): o projeto do governo estadual paulista dá a primeira oportunidade de emprego para jovens estudantes do ensino médio das escolas do sistema público estadual,com idade entre 16 e 21 anos , dos 39 municípios da Região Metropolitana de São Paulo. Empresas como Bradesco, TV Globo e Volskwagen, entre outras, pertencem ao programa. Os estudantes podem se inscrever na secretaria da escola ou pelo site http://www.meuprimeirotrabalho.sp.gov.br/
Agência Brasileira de Estágio (http://www.portalabre.com.br/): tem vagas em diversos Estados brasileiros, mediante cadastro gratuito
Estagiários.com (http://www.estagiarios.com/): oferece 216 vagas de estágio nos Estados do Amazonas, Bahia, Ceará, Espirito Santo, Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, São Paulo e Paraná para ensino médio e superior. Cadastro gratuito.

 2. Lei do estágio: o que muda?
Sancionada em setembro de 2008 pelo presidente Lula, a nova lei do estágio determinou uma série mudanças. A princípio, muitas empresas zeraram seus contratos de estágio, prevendo que as novas normas fixadas pela legislação afetariam seus lucros - a bolsa-auxilio e o vale-transporte, por exemplo, tornaram-se obrigatórios. Mas os estagiários não precisam temer a redução de vagas. De acordo com a Associação Brasileira de Estágios, houve uma queda de 40% no número de postos oferecidos em outubro de 2008, mas hoje, esclarecidos os pontos polêmicos da nova lei, o mercado continua o mesmo.
Para Paulo Nathanael Pereira de Souza, presidente do CIEE, a medida trouxe benefícios aos estudantes. "Lutamos muito por esse projeto e apoiamos a lei. Acredito que o saldo será positivo", afirma. Agora, estagiários devem ter férias remuneradas de 30 dias depois de um ano de trabalho e direito a vale-transporte. A lei também limitou a carga horária dos estudantes (6h para nível superior), que podem ser dispensados mais cedo durante o período de provas. Já o tempo máximo de estágio na mesma empresa passa a ser de dois anos, exceto para pessoas com deficiência. O acompanhamento de um profissional da área para os estagiários também passou a ser obrigatório, assim como o envio de um relatório, a cada seis meses, à instituição de ensino sobre o estágio. Ainda com dúvidas? O CIEE tem um telefone gratuito para esclarecimentos : 0800-771-2433.

3. Como montar um currículo ideal?
Suas qualidades no papel: antes de procurar estágio, confira como fazer um bom curriculum vitae:
Não enrole: uma página é suficiente para o currículo de principiantes
Informe dados pessoais básicos: nome, idade, endereço, telefone, e-mail e formação são imprescindíveis. Também é importante informar onde estuda, em qual turno (manhã, tarde ou noite) e em que ano está
Valorize sua formação: mencione os cursos, seminários e workshops dos quais participou --mas só os que têm relação com a sua profissão. Aulas de teatro não ajudam a conseguir vaga num escritório de engenharia
Idiomas: enumere as línguas que sabe, mas indique seu grau de conhecimento em cada uma. Para pesquisar cursos gratuitos ou de baixo custo, leia a reportagem Aprenda uma nova língua gastando pouco
Experiência anterior: estágios ou empregos anteriores, ainda que temporários, devem ser listados em ordem cronológica, ou seja, do atual para o mais antigo. Indique o ramo de atividade da empresa, função exercida e tempo de permanência no trabalho
Novas tecnologias: mencione seus conhecimentos em informática, independente da área de atuação
Não dê opiniões sobre si próprio: evite comentários do tipo "sou dinâmico e simpático"

4. Como se comportar na entrevista ou dinâmica de grupo?
Na sala de espera, seja discreto. Cuidado com o tom de voz e postura
Mantenha-se calmo e expresse-se com clareza. Nada de falar alto, usar gírias ou gesticular exageradamente
Seja franco e autêntico. Avaliadores são treinados para pegar mentiras
Treine em casa para evitar sustos na hora H. Os entrevistadores costumam fazer perguntas recorrentes. Eis algumas delas: porque o candidato escolheu a carreira em questão? Como se vê daqui dez anos? O que está lendo no momento? - essas questões pretendem testar sua capacidade de articulação, ou seja, sua facilidade de comunicação
Em dinâmicas de grupo, não pergunte qualquer bobagem só para se mostrar participativo
Leia o jornal ou pesquise as principais noticias do dia na Internet. Quanto mais informado, mais chances de ter assunto com o entrevistador
Informe-se sobre a empresa antes do encontro com o possível futuro chefe. Ele pode fazer perguntas sobre assuntos relacionados à área de atuação da empresa
O perfil da empresa pode ajudá-lo também a definir que roupa vestir. Agências de publicidade costumam tolerar roupas mais informais. Bancos e empresas de perfil sisudo preferem trajes sociais. De qualquer forma, meninas devem evitar decotes e roupas curtas e ter unhas e cabelos tratados. Meninos devem estar de barba bem-feita

5. Como turbinar seu currículo?
Para aumentar as chances de conseguir um bom estágio, invista em sua formação, participando de cursos, palestras e workshops. Procure atividades gratuitas relacionados a sua área de interesse. O Ciee, por exemplo, tem cursos gratuitos, presenciais e à distância, para jovens.
Trabalho social também é muito bem visto por empregadores em potencial. Se você é ou já foi voluntário de uma ong ou projeto social, cite isso no currículo. Viagens ao exterior ou intercâmbios também são diferenciais. Uma experiência no exterior parece um sonho distante? Saiba que a Aiesec (http://www.aiesec.org.br/), uma associação internacional na ativa no Brasil desde os anos 70, coordena programas de intercâmbio em todo mundo. É preciso, porém, ter em mente que o estudante não escolhe nem a empresa nem o país em que fará o estágio: pode aportar em Nova York ou no Zimbábue.
A única exigência é estar cursando do quarto semestre da faculdade para frente, ou ter até dois anos de formado. O programa vale para alunos de administração de empresas, economia, comércio exterior, engenharia, ciência da computação, marketing, publicidade e comunicação. Esse ano, as inscrições vão até março. O interessado deve pagar uma taxa de R$ 40 e depois passar por testes e dinâmicas de grupo. A associação tem escritórios em 11 Estados brasileiros (AM, BA, CE, ES, GO, MG, PE, RJ, RS, SC e SP) e no Distrito Federal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário